Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente
Seja bem-vindo(a)!
25 de Agosto de 2019
Início do conteúdo
Você está em: Home > Comunicação > Notícias > Blitze para identificar veículos com IPVA em atraso são realizadas em cinco cidades

Blitze para identificar veículos com IPVA em atraso são realizadas em cinco cidades

Blitze IPVA 2019 Municípios
De uma frota de 3,6 milhões de veículos que deveriam pagar o imposto este ano, 572 mil (15,82%) circulam com o IPVA atrasado - Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

A Receita Estadual realizou nesta quarta-feira (12/6), blitze simultâneas em diferentes cidades do Estado para reduzir a inadimplência do IPVA 2019 (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores). Iniciativas com a parceria de diferentes órgãos foram realizadas em Porto Alegre, Canoas, Passo Fundo, Uruguaiana e Lajeado, complementando ações já realizadas em Novo Hamburgo e Caxias do Sul nos últimos dias.

“Essas ações buscam ampliar a percepção de risco para os condutores que trafegam sem a documentação necessária” explicou Edison Moro Franchi, chefe da Divisão de Fiscalização da Receita Estadual. Segundo ele, é comum uma inadimplência maior logo que o calendário de pagamento do IPVA é finalizado, situação que acaba sendo praticamente regularizada a partir de agora.

De uma frota de 3,6 milhões de veículos que deveriam pagar o imposto este ano, 572 mil (15,82%) seguem circulando com o IPVA atrasado, segundo dados contabilizados nesta quarta-feira. Em Porto Alegre, mais de 80 mil automóveis estão com o IPVA atrasado, o que representa inadimplência financeira de cerca de R$ 60 milhões.

Na Capital, a ação contou com apoio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Guarda Municipal, Detran e Brigada Militar. Na blitz é utilizado um banco de dados da Receita Estadual que permite identificar, pela placa do veículo, os automóveis irregulares, não havendo necessidade de fiscalizar a documentação de todos os condutores.

Para 2019, a arrecadação prevista com o IPVA é R$ 2,8 bilhões. Metade deste valor é repassada de maneira automática para as prefeituras, conforme o município de emplacamento.

Juros e multas

O contribuinte que não pagou o tributo em dia, além de ter perdido os descontos de Bom Motorista (de até 15%) e Bom Cidadão (de até 5%), terá multa de 0,334% ao dia sobre o valor do imposto não pago, até o limite de 20%. Depois de 60 dias em atraso, o débito sofrerá acréscimo de mais 5% e será inscrito em dívida ativa, com o contribuinte correndo o risco de ter seu nome lançado no Serasa, sofrer protesto no cartório da sua cidade e processo de cobrança judicial.

Além dessas consequências, o proprietário que for flagrado nas barreiras com o IPVA atrasado terá custos que poderão ir além de colocar em dia o imposto. Como o IPVA é um dos requisitos para renovar o Certificado de Registro e de Licenciamento de Veículo (CRLV), transitar sem esse documento em ordem significa infração gravíssima (art. 230, V, do Código de Trânsito Brasileiro), com risco de multa e pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além dos custos do serviço de guincho e depósito do Detran.

Os prazos para renovação da CRLV, entretanto, são diferentes do IPVA e variam conforme a placa: 30 de abril para finais 1, 2 e 3; 31 de maio para finais 4, 5 e 6; 30 de junho para finais 7 e 8; e 31 de julho para finais 9 e 0.

 

Texto: Ascom Sefaz
Edição: Patrícia Specht/Secom

Compartilhar:
Comentários